quarta-feira, 8 de março de 2017

[Lista] 5 grandes mulheres da literatura brasileira

Por Eric Silva

No dia 8 de março é comemorado o dia Internacional da Mulher. Uma data que é produto do reconhecimento pelos muitos anos nos quais as mulheres, através dos mais diferentes movimentos, batalharam pelos seus direitos. Na busca pelo direito ao voto, por igualdade de condições de trabalho e de direitos trabalhistas, muitas mulheres foram reprimidas com violência e até perderam suas vidas. Vozes que não se silenciaram com a morte e nem recuaram ante o autoritarismo. Mesmo contra toda adversidade elas sempre lutaram para conquistar seu espaço em um mundo controlado pelos homens. A luta se tornou diária e o combate contra o preconceito e o machismo persiste, bem como a luta por uma maior abertura e igualdade no mercado de trabalho.
Na literatura também elas perseveraram para garantir o seu espaço e o direito de exprimir seus sentimentos, contar suas histórias, fazer ouvir (ler) suas vozes (palavras). No #AnoDoBrasil e em homenagem a todas as mulheres brasileiras, e também do mundo, dedicamos essa singela postagem para listar cinco grandes escritoras do nosso país que conquistaram seu lugar no panteão dos grandes nomes da literatura brasileiras graças ao talento e competência que demonstraram. Artistas que por muitas gerações emocionaram milhares de leitores e que encantarão ainda muitos outros.


Carolina Maria de Jesus
Mineira de Sacramento, Carolina Maria de Jesus nasceu em 14 de março de 1914 e morreu em São Paulo, no dia 13 de fevereiro de 1977.
De origem muito humilde, viveu por muitos anos na favela do Canindé, em São Paulo, e para sobreviver e sustentar sua família trabalhava como catadora de papel. Era nos papéis que catava pelas ruas da capital paulista que Carolina escrevia seus diários onde imprimia a difícil rotina de catadora e os desafios de viver em uma favela brasileira, o quarto de despejo da cidade, como costumava dizer.
Depois de ser descoberta pelo jornalista Audálio Dantas, Carolina publicou o primeiro e mais importante de seus livros, Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada, que além de ter sido traduzido para 15 idiomas, a colocaria entre uma das primeiras e mais importantes escritoras negras do país.
Teve uma carreira extremamente rápida e o sucesso do seu primeiro livro não se repetiu nas obras que se seguiram: Casa de alvenaria: diário de uma ex-favelada (1961), Provérbios (1963) e Pedaços da fome (1963). Diante do fracasso editorial de suas últimas obras, a autora logo voltou à pobreza e até hoje se mantém desconhecida por muitos brasileiros.

Clarice Lispector
Escritora e jornalista de origem judia, Clarice Lispector (ou Chaya Pinkhasovna Lispector) nasceu em Tchetchelnik, Ucrânia, no dia 10 de dezembro de 1920, pouco antes de sua família se preparar para fugir do antissemitismo resultante da Guerra Civil Russa (1918-1920) e virem viver no Brasil, onde aportaram em janeiro de 1922.
A escritora viveu sua infância no Recife, mas, em 1937, a família se muda para o Rio de Janeiro. Na nova cidade, aos 19 anos, publica seu primeiro conto “Triunfo” no semanário Pan. Diploma-se em Direito, em 1943, mesmo ano em que se casa com Maury Gurgel Valente, diplomata do Ministério das Relações Exteriores, e estreia na literatura com o seu primeiro romance, Perto do Coração Selvagem, pelo qual ganha o Prêmio Graça Aranha.
Viveu em muitos países como Inglaterra, Estados Unidos e Suíça, em companhia do marido, e na ocasião da Segunda Guerra Mundial, quando se encontrava na cidade italiana de Nápoles, serve como voluntária de assistente de enfermagem no hospital da Força Expedicionária Brasileira.
Após seu segundo filho divorcia-se e retorna ao Brasil. Passa a viver no Rio de Janeiro e ali continua sua carreira como escritora em paralelo com trabalhos na área de jornalismo. Em 1960 publicou seu primeiro livro de contos, “Laços de Família”.
Clarice é considerada uma das mais importantes escritoras brasileiras do século XX e “a maior escritora judia desde Franz Kafka”. A grande marca de sua obra o trabalho com cenas cotidianas simples e tramas psicológicas, e uma de suas principais características é “a epifania de personagens comuns em momentos do cotidiano”.
Sua última obra publicada em vida foi o romance Hora da Estrela em 1977. A autora falece no mesmo ano em decorrência do agravamento de um adenocarcinoma de ovário, problema de saúde que, na época, era desconhecido pela escritora.

Rachel de Queiroz
Nascida em Fortaleza, capital do Ceará, no dia 17 de novembro de 1910 Rachel de Queiroz foi tradutora, romancista, escritora, jornalista, cronista prolífica e dramaturga. Filha de intelectuais era parente distante do escritor José de Alencar. Com apenas 7 anos muda-se do Ceará para o Rio de Janeiro e em seguida para o Belém do Pará.
Formou-se professora em 1925, quando tinha apenas 15 anos de idade, e, em 1930, publica seu primeiro romance, “O Quinze”, pelo qual ganha o Prêmio Graça Aranha. Foi militante do Partido Comunista Brasileiro desde 1930 e seguiu também carreira como jornalista no Jornal do Ceará. Colaborou também com os jornais O Estado de S. Paulo e Diário de Pernambuco.
Em 1977, é escolhida para ser a quinta ocupante da Cadeira 5 da Academia Brasileira de Letras, se tornando a primeira mulher a ocupar uma cadeira na instituição. Em 1992, escreveu o romance Memorial de Maria Moura ganhador do Prêmio Camões.
Escreveu romances, contos e crônicas, e em sua obra deu grande destaque a questão social do Nordeste.
A escritora faleceu em 2003, vítima de problemas cardíacos, pouco antes de completar 93 anos.

Cecília Meireles
Jornalista, pintora, escritora e professora, Cecília Benevides de Carvalho Meireles nasce no Rio de Janeiro, em 7 de novembro de 1901 e faleceu na mesma cidade em 9 de novembro de 1964. Foi a “primeira voz feminina de grande expressão na literatura brasileira” e em sua carreira publicou mais de 50 obras.
Começou a escrever suas primeiras poesias ainda na infância, mas só estreou na literatura aos 18 anos com a publicação de Espectros, obra que foi fortemente influenciado pelo Simbolismo.
Foi fundadora da primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro no ano de 1934 e escreveu diversas obras para o público infantil, com destaque para “O cavalinho branco” e “Colar de Carolina”, que foram livros que como a maioria da produção da autora voltada para as crianças é marcada fortemente pela musicalidade dos versos.
Estudou literatura, música, folclore e teoria educacional. Chegou a atuar como jornalista entre os anos de 1930 e 1931, onde colaborou com artigos sobre educação, e como educadora lecionou e ministrou palestras sobre literatura, folclore e cultura brasileira em diferentes universidades do exterior.
Como poetisa o conjunto de suas obras expressa “estados de ânimo, predominando os sentimentos de perda amorosa e solidão”.

Lygia Fagundes Telles
Paulista, Lygia de Azevedo Fagundes nasceu em 19 de abril de 1923 e durante sua infância viveu em várias cidades onde seu pai atuou como promotor. Logo após ser alfabetizada começou a escrever suas primeiras histórias e com apenas 15 anos de idade publicou o primeiro livro, Porão e Sobrado. Contudo, só estreou oficialmente na literatura em 1944, com a publicação de outro livro de contos, Praia Viva, e seu primeiro romance, Ciranda de Pedra, seria publicado apenas em 1954.
Diplomada em Direito e Educação Física frequentou rodas de literatura onde conheceu grandes nomes do modernismo como Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Paulo Emílio.
Na década de 1970, escreve As Meninas, livro inspirado pelo contexto político do regime militar e que foi adaptado para o cinema por Emiliano Ribeiro em 1996.
Em 1987, toma posse da cadeira número 16 da Academia Brasileira de Letras, tornando-se a terceira mulher a se tornar um imortal, e, em 2016, se torna a primeira mulher brasileira a ser indicada ao Nobel de Literatura.

Referências
http://www.academia.org.br/academicos/rachel-de-queiroz/biografia
http://www.ims.com.br/ims/explore/artista/carolina-maria-de-jesus
http://www.releituras.com/clispector_bio.asp
http://www.suapesquisa.com/biografias/cecilia_meireles.htm
https://educacao.uol.com.br/biografias/clarice-lispector.htm https://educacao.uol.com.br/biografias/carolina-maria-de-jesus.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cec%C3%ADlia_Meireles
https://pt.wikipedia.org/wiki/Clarice_Lispector
https://pt.wikipedia.org/wiki/Rachel_de_Queiroz
https://www.ebiografia.com/cecilia_meireles/
https://www.ebiografia.com/clarice_lispector/

https://www.todamateria.com.br/vida-e-obra-de-rachel-de-queiroz/



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...